23/09/2022, leia 23 vezes
Compartilhe esse post:
Tudo O Que Você Desejava Saber Sobre a Motivação dos Funcionários

Quais são as forma de motivar seus funcionários? Qual o tipo de motivação dos funcionários é mais efetivo? Como as empresas motivam seus funcionários? Neste artigo você vai descobrir as respostas a todas essas perguntas e muito mais, com exemplos ilustrativos da vida real.

Faça a você mesmo uma pergunta simples: “Por que meus funcionários trabalham na minha empresa?” A primeira - e a mais óbvia - resposta que surge na cabeça é esta: eles trabalham para serem pagos. Mas será que essa é a única razão? E é a razão mais importante? Se assim for, então por que existem centenas de diretores enfrentando situações onde as pessoas recebem salários bastante generosos por seu trabalho, mas não estão dispostas a executar suas tarefas profissionais? Vamos abordar todas essas questões e muito mais no guia detalhado da Kickidler sobre a motivação dos funcionários!

Motivação dos funcionários - em primeiro lugar, por que motivo ela é importante?

Em relação à motivação dos funcionários, preferimos usar a definição mais simples, clara e transparente possível: a motivação dos funcionários é o desejo deles de trabalhar. Quanto mais alta a motivação de seus subordinados, maior o interesse deles pelo trabalho, maior a eficácia no desempenho das funções, e maior o valor que você recebe deles em geral. Se uma pessoa aceita um emprego e concorda com os termos do contrato de trabalho, podemos pensar que ela já está suficientemente comprometida e pode fazer bem o trabalho ou demitir-se. Assim, por que os empregadores precisam ter mais atenção a este conceito? No final das contas, somos todos adultos e, por vezes, precisamos fazer coisas inevitáveis, independentemente da nossa vontade.

Obviamente, essa opinião não é totalmente absurda: um adulto competente sabe como fazer seu trabalho simplesmente porque precisa ser feito. Porém, temos duas nuances importantes que devem ser salientadas:

  1. Se um funcionário trabalha contra a sua própria vontade, ele aplica seus recursos mentais na tentativa de superar seu próprio desinteresse ou até repulsa pelo trabalho, dia após dia. Se essa pessoa por acaso gostasse do seu trabalho - se estivesse motivada -, ela poderia utilizar esses mesmos recursos mentais corretamente. Este ponto crítico não deve ser ignorado.
  2. Ainda que os adultos possam ignorar seus impulsos no trabalho quando não têm vontade de fazer coisa alguma, na verdade não gostam desses conflitos internos. Se estivermos falando de um funcionário importante - um profissional que consegue facilmente satisfazer suas necessidades materiais, com ou sem você -, essa pessoa irá simplesmente se demitir. O mais provável é que ela saia para o seu concorrente que conseguiu motivá-la um pouco mais. Recentemente, nós enumerámos as principais razões pelas quais as pessoas desistiram de seus empregos e, entre essas razões, encontramos a falta de motivação e compromisso dos funcionários.

Aliás, o comprometimento dos funcionários - apego emocional à empresa - é impossível sem uma motivação elevada dos funcionários. Não se esqueça disso, já que um funcionário comprometido com os processos laborais tende a trabalhar 20-30% mais eficientemente do que alguém que meramente satisfeito com suas condições de trabalho.

Assim sendo, ao negligenciar o fator de motivação do funcionário, você está simplesmente desperdiçando o potencial dele, fomentando uma grande rotatividade de funcionários e, em última instância, perdendo dinheiro.

Motivação financeira e não financeira

A motivação pode ser financeira e não financeira. É fácil entender a primeira: ela envolve dinheiro e várias recompensas materiais, como por exemplo:

  • salário;
  • bônus;
  • juros ou comissões;
  • convênio social - seguro, refeições grátis, transporte para o trabalho, etc.;
  • treinamento profissional pago pela empresa.

A motivação não financeira engloba os outros benefícios que o funcionário recebe da empresa:

  • condições cômodas de trabalho: um escritório acolhedor, uma academia, café grátis, etc.;
  • oportunidade para trabalhar com equipamentos de última geração ou executar tarefas interessantes;
  • satisfação moral na hora de receber elogios dos superiores ou ver sua foto no wall of fame da empresa;
  • festas corporativas;
  • excursões turísticas para as famílias dos funcionários.

Vale a pena reconhecer que pessoas diferentes têm prioridades diferentes. Algumas gostam mais de um bom seguro de saúde e convênio social, outras querem melhorar o que fazem e aperfeiçoar suas competências, outras ainda obtêm o maior prazer quando são reconhecidas por seus superiores. No entanto, há uma regra geral que se aplica na maioria dos casos:

Primeiramente, você deve ter sua motivação financeira em ordem e, depois disso, lidar com a motivação não financeira.

O caminho oposto - apostar na motivação não financeira (especialmente na motivação “gratuita”, como os certificados de mérito) - só funciona nas organizações que inicialmente prestam serviços sem fins lucrativos. Por exemplo, essa estratégia pode funcionar em uma instituição de caridade ou uma organização de voluntariado.

Contudo, na maioria dos casos, as pessoas chegaram até você para ganhar dinheiro: um salário suficientemente alto para o cargo é o pré-requisito para que os especialistas possam sequer considerar sua oferta de trabalho. Por outro lado, a motivação não financeira é a razão pela qual escolhem sua empresa em detrimento de todas as similares.

Motivação positiva e negativa

A motivação também pode ser positiva e negativa. A motivação positiva se refere à denominada cenoura:

  • bônus e comissões;
  • reconhecimento dos executivos;
  • reconhecimento dos sucessos por parte dos colegas;
  • certificados de mérito, presentes, etc.

Neste caso a motivação negativa é a vara metafórico:

  • o receio de dececionar a equipe;
  • multas, penalizações e reprimendas verbais.

Veja como os tipos de motivação financeira e não financeira também podem operar aqui. Uma tarefa bem-sucedida implica bônus financeiro e reconhecimento. Uma tarefa fracassada implica uma multa e reprovação geral. Para equilibrar este sistema, caso você queira obter o máximo de seus funcionários, deve sempre buscar uma abordagem abrangente.

Mas devemos ressaltar aqui um ponto importante: as motivações positivas e negativas podem facilmente provocar um retrocesso no desempenho dos funcionários em vez de uma melhoria.

Os efeitos negativos das tentativas de melhorar a motivação dos funcionários em sua empresa

Comecemos com a motivação negativa, uma vez que tudo é evidente a esse respeito. Consideremos algumas situações:

  1. Foi dada uma tarefa a um subordinado, que acabou se tornando mais difícil do que o esperado. Ele trabalhou de forma diligente, mas não cumpriu o prazo e, assim, acabou multado.
  2. A equipe trabalhou intensamente em um projeto, todos fizeram o seu melhor, mas a procrastinação de um funcionário acabou resultando em uma multa para toda a equipe.
  3. Um fornecedor atrasou a entrega, então o executivo berrou com o diretor responsável e cancelou seu bônus.

Todos esses casos implicaram o uso irracional de motivação negativa. Nesses exemplos, os funcionários receberam feedback negativo sobre suas ações, quando eles não tiveram qualquer culpa. Em situações como estas, os subordinados não irão aprender lição útil alguma para o futuro, deixarão de confiar em seus superiores, e atitude geral deles em relação à empresa irá piorar.

Agora vejamos a motivação positiva. A princípio, elogiar ou conceder um bônus não parecer ser negativo, mas pense nestes exemplos:

  1. Você oferece um bônus para uma equipe por ela ter concluído um projeto com sucesso, mas todos sabem que um funcionário específico fez mal o seu trabalho. E, ainda assim, ele recebeu o mesmo incentivo financeiro dos demais. Ninguém vai denunciar o caso, mas isso provoca um sentimento ruim: no próximo projeto, teremos mais procrastinadores. Afinal, por que fazer um esforço quando todos são recompensados de igual forma?
  2. Você concede um bônus para um subordinado, mas a quantia é menor do que o que ele esperava. Pode ocorrer uma briga com o funcionário e, mesmo que você tenha razão, a outra pessoa pode ficar ressentida.
  3. Você incentiva seus funcionários com certificados e presentes da empresa, mas um deles sempre é ignorado, uma vez que ele apenas faz seu trabalho tranquilamente, sem atrair atenções. A motivação dele inevitavelmente diminuirá: todos parecem fazer um ótimo trabalho, mas eu não.

Ainda há muitos outros exemplos de tentativas fracassadas para motivar funcionários, mas a raiz do problema é sempre a mesma: parcialidade e falta de transparência.

5 fatores que destroem a motivação dos seus funcionários

Falemos também de potenciais ciladas - coisas às quais você precisa prestar atenção na hora de motivar os funcionários:

  1. Microgestão. A pressão excessiva por parte dos superiores contribui fortemente para aumentar o estresse, o que, como sabemos, mina a motivação. Nós já falámos exaustivamente sobre os malefícios de ficar controlando apenas porque sim; também apresentámos um exemplo de como um funcionário se sente ao ser alvo de microgestão. Evite essas situações: por exemplo, a Kickidler tem um módulo especial para isso - Autokick - que permite aos subordinados se monitorarem a eles mesmos, sem interferência do supervisor e sem o impacto negativo disso.
  2. Problemas pessoais. Por muito que gostássemos de deixar todos os assuntos pessoais fora do escritório, somos humanos. Os problemas pessoais dos funcionários influenciam a qualidade do trabalho, e você é o responsável por detetar esses casos atempadamente (fazendo o rastreio com a ajuda da Kickidler em relação a quaisquer quebras de produtividade) e tomar medidas, como falar com a pessoa, descobrir delicadamente o que aconteceu e tomar as medidas apropriadas.
  3. Doomscrolling. A sensação de que não tem nada de bom nesse mundo é bastante dura - não só afeta a motivação, mas também o desejo de viver em geral. Você pode procurar proteger seus funcionários do estresse desnecessário, bloqueando seu acesso às notícias durante o expediente de trabalho, e sua motivação e produtividade vão aumentar.
  4. Demasiadas reuniões e relatórios. Os funcionários não gostam de ser desviados de suas tarefas principais só para participarem em mais uma teleconferência ou serem obrigados a gerenciar um monte de papéis. Logicamente, essas coisas são inevitáveis, mas, se você estabelecer uma cultura eficiente para as reuniões e relatórios da empresa, será mais fácil para seus funcionários se concentrarem no trabalho propriamente dito. Em troca, produtividade vai aumentar e motivação deles vai deixar de diminuir.
  5. Ética. Incentivamos o monitoramento rigoroso dos dados que a Kickidler recolhe e exibe continuamente, mas isso não significa que os funcionários devem perceber esse monitoramento. Respeite os princípios principais do monitoramento ético (link: https://www.kickidler.com/info/ethics-of-employee-monitoring.html) e poderá minimizar os problemas em relação à motivação dos subordinados. 

5 regras de objetividade e transparência que são a base da motivação dos funcionários

Entre as necessidades psicológicas fundamentais de cada pessoa está a imparcialidade. A maioria dos funcionários íntegros quer trabalhar com honestidade e receber uma remuneração adequada por seu trabalho. Eles entendem e argumentam através do princípio básico: se você trabalha bem, você recebe um feedback positivo; se você relaxa, você recebe um feedback negativo na forma de uma multa ou repreensão. Contudo, para que uma pessoa entenda adequadamente suas estratégias de motivação, ela deve estar certa de que tudo é feito de forma imparcial.

Em condições ideais, cada funcionário de sua empresa deve ter certeza de que:

  1. todos recebem uma remuneração justa por seu trabalho (segundo suas responsabilidades, competências, anos de experiência, etc.);
  2. as conquistas não são ignoradas: um trabalho bem-sucedido será reconhecido;
  3. erros e descuidos não são ignorados: serão impostas repreensões e multas;
  4. o tamanho de uma recompensa ou multa - financeira e não financeira - será proporcional à importância da ocasião;
  5. não existem favoritos ou bodes expiatórios na empresa; cada funcionário é tratado com igualdade, de acordo com as regras aplicáveis a todos.

É possível atingir essa situação perfeita na prática? Sem dúvida, desde que você recorra a critérios objetivos ao tomar suas decisões gerenciais, por exemplo usando os relatórios da Kickidler.

A Kickidler apresenta uma perspetiva clara da produtividade de cada um de seus funcionários: os aplicativos que eles usam, os sites que eles visitam, os horários nos quais eles estão trabalhando ativamente nos computadores e os horários nos quais eles estão menos comprometidos com seu trabalho. Ao utilizar a Kickidler, você pode ver rapidamente aqueles que você deve recompensar e quem você deve prestar mais atenção; mais importante do que isso, você poderá explicar a lógica por detrás de suas decisões. Com isso, você assegurará objetividade e transparência, a base de um forte sistema de motivação.

5 passos para desenvolver um sistema eficaz de motivação na empresa

Então, você já deu o primeiro passo, estabelecendo um sistema objetivo de recompensas e penalidades financeiras e não financeiras. O sistema é transparente, compreensível para cada funcionário, e equitativo. Aqui estão os próximos passos que você precisa dar:

  1. Criar uma cultura de reconhecimento. Infelizmente, a maioria das atividades de gerenciamento tendem a focar na “vara”. A remuneração pelo trabalho é considerada pelos diretores como “cenoura” suficiente, quando, na verdade, é uma necessidade. Seguindo a metáfora, isso é um prato principal e não uma cenoura. A cenoura é como uma cereja no topo do bolo: é uma questão de sentir que você não ganhou apenas dinheiro, mas fez algo útil para as pessoas em seu redor, algo que essas pessoas vão gostar. Por isso que todos os executivos precisam aprender como transmitir feedback positivo para as pessoas. Bem vistas as coisas, a falta de reconhecimento está entre as principais razões pelas quais os funcionários podem já não ter vontade de trabalhar.
  2. Criar um ambiente laboral verdadeiramente inclusivo e aberto. Uma importante parte da motivação é a sensação de que você tem sua própria importância na empresa. Quando as pessoas estão motivadas, têm ideias e sugestões para melhorar os processos internos e, se não forem ouvidas, a motivação delas diminuirá. Como diretor, você tem o dever de estar constantemente comprometido em um diálogo com seus funcionários: ouvir suas ideias, conversar sobre suas sugestões e avaliar suas opiniões.
  3. Adaptar a motivação não financeira às necessidades dos seus funcionários. Fuja de clichês como certificados de valorização para o funcionário mais produtivo que você baixou na internet. Descubra o que seus funcionários gostam de verdade. Por exemplo, se você tem uma equipe composta por pessoas jovens e ativas, a probabilidade é que eles gostem mais de uma festa empresarial em um resort de esqui do que de uma noite em um restaurante chique (embora cada pessoa seja diferente, claro). Você poderá até criar um Comitê Cultural com os funcionários, que vai reunir o feedback de sua equipe e dirá exatamente para você o que as pessoas querem.
  4. Definir metas claras. A existência de objetivos específicos já aumenta a eficiência do trabalho em 10-15%. Analise os relatórios da Kickidler de períodos anteriores e estabeleça alvos que proporcionarão aos seus funcionários um desafio interessante, mas que ao mesmo tempo não os sobrecarregarão. Com o passar do tempo, verá um aumento geral na produtividade.
  5. Ficar atento ao nível de felicidade dentro da empresa. Claro, não podemos garantir que todos os funcionários satisfeitos estarão altamente motivados, mas podemos afirmar com segurança que todos os funcionários insatisfeitos estão certamente longe de estarem motivados. Os inquéritos de “satisfação” que referimos em outro artigo nosso recente podem ser muito úteis para você.

E não deixe de acompanhar os efeitos de suas decisões com a ajuda da Kickidler: você conseguirá perceber claramente como a motivação de seus funcionários muda em função das alterações em sua produtividade.

Objetividade. Transparência. Rigor. Atenção. Integridade. Estas qualidades ajudarão você a construir um sistema eficaz de motivação dos funcionários em sua empresa. Reconheça as necessidades de seus funcionários, confie nos dados da Kickidler, e o resto acabará por acontecer! Boa sorte!

Software de monitoramento de funcionários Kickidler.

Você gostou do artigo? Inscreva-se nas redes sociais.


23/09/2022, leia 23 vezes
Compartilhe esse post:


Aqui estão mais alguns posts interessantes: